Home / Noticias / Desenvolvimento e Inclusão Social / Projeto Guardiãs Maria da Penha tem início em julho em Taubaté

Projeto Guardiãs Maria da Penha tem início em julho em Taubaté

Uma parceria entre as secretarias municipais de Segurança e de Desenvolvimento e Inclusão Social com o Ministério Público de São Paulo viabiliza a implementação do projeto Guardiãs Maria da Penha em Taubaté, com início previsto para a primeira quinzena do mês de julho.
A última etapa da formação acontece na próxima sexta-feira, dia 3 de julho,  ministrada pela responsável técnica do Centro de Referência Especializado da assistência Social (Creas), Renata Gonçalves de Almeida, com a participação de 105 servidores municipais, entre eles 20 agentes da Guarda Civil Municipal (GCM). Desde 2019, após uma primeira capacitação, guardas municipais já realizam ronda para atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica. Uma viatura caracterizada, sempre composta por pelo menos uma agente feminina, realiza a ronda e visita às residências.
O projeto será implementado com o cadastro de 381 mulheres que possuem medidas protetivas expedidas pelo Ministério Público no aplicativo criado pela GCM. O aplicativo deve ser instalado pela mulher vitimizada e pode permanecer na área de trabalho de seu celular. Em situações de perigo ela pode acionar o botão SOS e um pedido de ajuda será enviado automaticamente para a GCM, com o mapa de localização da vítima. Com isto, o atendimento será agilizado.
Segundo dados fornecidos pelo Ministério Público, no ano passado 285 mulheres possuíam medida protetiva em Taubaté. Para se ter uma ideia, entre janeiro e abril de 2019 existiam 33 medidas protetivas ativas. O número passou para 96 no mesmo período de 2020.

Veja também

Taubaté confirma mais uma morte e chega a 4.337 casos de coronavírus

Taubaté confirma neste sábado, dia 12 de setembro, mais uma morte por coronavírus e totaliza …